Depoimentos

Conheça as histórias de pessoas que aderiam à Dieta Cetogênica 

JOÃO, filho de Danielle

João é o filho de uma das fundadoras, a Danielle. João apresentou as primeiras e inúmeras crises aos 3 meses de idade, quando iniciou tratamento medicamentoso e terapias de estimulação. As crises diminuíam, mas nunca cessavam, o que trouxe prejuízos ao seu desenvolvimento neuropsicomotor. João se desenvolveu bem, dentro de suas limitações, e sempre foi um menino de ótimo humor, alegre, muito comunicativo e amoroso. Somente aos 14 anos João teve o diagnóstico de deficiência de Glut-1, cujo único tratamento disponível e efetivo é a dieta cetogênica, que deve ser mantida por toda a vida. Depois de 6 meses de dieta, João aprendeu a ler e escrever e ganhou alguns amigos. Hoje, aos 18, é um adolescente livre das crises, das medicações e da hipoglicemia.

MARIA, filha da Thais

Maria é filha da Thais Chueiri, fundadora e diretora do Instituto. Maria teve 5 convulsões febris de 1 ano até os dois anos e meio quando teve uma crise de 50 minutos. Ficou internada 15 dias e saiu do hospital tomando anticonvulsivantes. Dois meses depois, as crises de ausência começaram, de 15 em 15 dias, 10 em 10, 7 em 7, 5 em 5, até que quase todos os dias, alguns dias 3 vezes ao dia. Tentamos vários remédios, nada adiantava. Essa situação durou 6 meses, quando os médicos sugeriram a dieta. No dia em que começou Maria parou de ter crises. Foi impressionante. Ela está há mais de um ano fazendo a dieta, conseguimos reduzir a medicação de maneira drástica e ela tem crises muito mais leves, apenas quando está muito cansada ou doente.

 

Dieta Cetogênica para epilepsia

 

Dieta Cetogênica para epilepsia

 

Dieta Cetogênica para epilepsia